No. 3
Terčo os homossexuais mais probabilidade de serem pedófilos?


Esta questčo foi trazida pelo advogado de acusaćčo no caso de Āke Green (the trial of Āke Green) a 19 de Janeiro de 2005 em Jönköping. O advogado de acusaćčo, Kejll Yngvesson, referiu que nčo existe suporte científico sugerindo que os homossexuais tźm uma maior tendźncia de serem pedófilos, mas pelo contrário, os heterossexuais tźm mais probabilidade de serem pedófilos. Que monte de metiras e conversa fiada!

Uma resposta correcta a esta questčo é muito importante no que diz respeito a políticas sociais. Se os heterossexuais tźm na realidade mais probabilidade de serem pedófilos, conclui-se entčo que certas ocupaćões e actividades devem ser reservadas aos homossexuais. Homossexuais deveriam ser aqueles que trabalham com as nossas crianćas nos infantários, levam os rapazes escuteiros em viagens de campismo, etc., para diminuir o risco de molestaćčo infantil. Mas se o oposto é verdade entčo as coisas funcionam da forma contrária.

Eu já apresentei no texto principal um monte de evidźncias que nos compelem a crźr que qualquer homossexual tem mais probabilidade de ser pedófilo de que qualquer heterossexual. Factos sčo factos e nčo deverčo ser escondidos numa vč tentativa de ser “politicamente correcto”, se nós estivermos lidando com individuos intelectualmente honestos.

Em seguida, temos mais uma análise de uma extensa base de dados. Mesmo que a tendźncia seja aparente, é de alguma forma evasivo chegar a numeros precisos, devidos a razões óbvias. Dado que a pedófilia é ainda um acto criminal e as próprias vitimas nčo sabem como e mesmo se devem reportar estes actos, muitos destas situaćões nčo chegam sequer a ser parte das estatísticas. E quando um molestador (ou molestadora, mesmo sendo menos comum) é apanhado, nem sempre é possível saber a sua orientaćčo sexual. Especialmente numa sociedade do “politicamente correcto” onde esse assunto nem sequer é levantado.

Ambos homens e mulheres poderčo molestar tanto um rapaz como uma moća. Por isso existem quatro combinaćões. Duas das quatro combinaćões (mulheres molestando rapazes e homens molestando meninas) sčo heterossexuais por natureza e portanto, cometidas por pessoas com “orientaćčo” heterossexual. Semelhantemente, as outras duas (mulher com menina e homem com rapaz) sčo cometidas por pessoas com orientaćčo homossexual.

Entčo o que é mais comum? Actos de molestaćčo heterossexual ou homossexual? Um vasto estudo nesta matéria foi conduzido por Departamento de Justića dos E.U.A. – Estatisticas do Departamento de Justića em 2000 baseado em dados colhidos entre 1991 e 1996 em 12 estados (Alabama, Colorado, Idaho, Illinois, Iowa, Massachusetts, Michigan, North Dakota, South Carolina, Utah, Vermont and Virginia). Estes estados faziam parte do NCVS (Censo Nacional sobre Victimas de Crime) e a base de dados conhecida como NIBRS (Sistema Nacional de Informaćčo de Incidentes). O nome do estudo é “Assaltos Sexuais a Crianćas reportados ás Forćas Policiais: Victima, Incidente e Características do ofensor”. O estudo foi conduzido pelo Dr. Howard Snyder e está em (ref.11). os dados deste estudo estčo também em (ref.12).

Aqui estčo os pontos mais importantes deste estudo:

1. De 57762 ofensores identificados pelas victimas, o tipo de assaltos sexuais se distribuem da seguinta forma:

Violaćčo: 42%
Sodomia forćada: 8%
Assalto sexual com objecto: 4%
Carícias forćadas: 45%

2. Quase todos os ofensores reportados em assaltos sexuais eram homens (96%). Entčo, assumindo razoavelmente, temos 4% de mulheres com a mesma distribuićčo de assaltos sexuais dos 96% homens.
Para os homens, “violaćčo” considera-se uma molestaćčo heterossexual e “sodomia forćada” uma molestaćčo homossexual.

3. As percentagens nas categorias apresentadas (no item 1) sčo uma combinaćčo de todos os grupos etários. Mas se considerarmos somente casos de assaltos sexuais com vitimas abaixo dos 18 anos de idade (molestaćčo infantil), descobrimos que (da tabela 1 do relatório) que

45.8% de todas as “violaćões” pertencem a este grupo etário.
78.8% de todas as “sodomias forćadas” pertencem a este grupo etário.
75.2% de “todos os assaltos sexuais com objectos” pertencem a este grupo etário.
83.8% de todas as “carícias forćadas” pertencem a este grupo etário.

Note que 54.2% (=100%-45.8%) de todas as “violaćões” ocorrem com mulheres de “18 anos e mais velhas” enquanto que somente 21.2% (=100%-78.8%) de todas as “sodomias forćadas” ocorrem em homens com “18 anos e mais velhos”. Como é óbvio, isto reflecte o facto de que as mulheres sčo vulneráveis a violaćões (um acto heterossexual) em idades em que os homens podem se defender fisicamente contra assaltos sexuais.

4. Combinando a percentagem de incidents do item 3 com as do item 1 conclui-se:

45.8% x 42% (da tabela 1) = 19.2% de todos os assaltos sexuais sčo “violaćões” em meninas (<18 anos) – i.e. molestaćčo heterossexual.
78.8% x 8% (da tabela 1) = 6.3%
de todos os assaltos sexuais sčo “sodomia forćada” em rapazes (<18 anos) – i.e. molestaćčo homossexual.
75.2% x 4% = 3.0% de todos os assaltos sexuais sčo “assaltos com objectos” tanto em rapazes como meninas (<18 anos) – i.e. tanto molestaćčo heterossexual como
homossexual
.
83.8% x 45% = 37.7% de todos os assaltos sexuais sčo “carícias forćadas” tanto em rapazes como meninas (<18 anos) – i.e. tanto molestaćčo heterossexual como homossexual
.
A partir desta informaćčo estatística apresentada no relatório, nčo é possível saber ao certo qual a proporćčo de “assaltos sexuais com objectos” e “carícias forćadas” que sčo cometidas a meninas (actos heterossexuais) ou a rapazes (actos homossexuais).

Entčo, vamos considerar o que nós temos agora: 19.2% de todos os assaltos sexuais sčo definitivamente casos heterossexuais de molestaćčo infantil e 6.3% de todos os assaltos sexuais de definitivamente casos homossexuais de molestaćčo infantil. Isto quer dizer que a proporćčo é de 3:1 (=19.2/6.3) o que significa que 1 em 4 (25%) casos de pedófilia (molestaćčo infantil) sčo realizados por homossexuais e 75% por heterossexuais. A proporćčo entre heterossexuais e homossexuais na populaćčo geral varia muito de país para país e de uma era da civilizaćčo humana para outra. Mas a base de dados desta estatística corresponde aos anos de 1991 até 1996 em 12 estados da E.U.A. Durante este tempo foi sugerido que 2-3% da populaćčo era homossexual. Se usarmos uma média de 2.5% encontramos que 25% de todas as molestaćões infantis foram cometidas pelos 2.5% da populaćčo considerada homossexual. Esta é uma representaćčo de um factor 10.

Por outras palavras, usando esta metodologia descobrimos que um homossexual “estatísticamente normal” é 10 vezes mais provável de ser pedófilo do que um heterossexual “estatísticamente normal”.

Como referido acima, esta conclusčo é baseada numa comparaćčo de registos criminais de “violaćões” e “sodomia forćada” durante uma período de 6 anos (1991-1996) em 12 estados dos E.U.A. O resultado confere com variadas outras fontes de informaćčo. Por exemplo, veja o relatório recente por Jon Dougherty entitulado Pedófilia mais comum entre Gays” (ref. 38).

Alguém poderá questionar o qučo exacto estes números sčo. Na realidade, eles dependem da base de dados apresentada e na metodologia usada. Mas nčo poderá haver discussčo acerca do facto de que os homossexuais homens tźm mais probabilidade (muito mais probabilidade) de ser ou se tornarem pedófilos do que homens heterossexuais. Pelo menos entre pesquisadores intelectualmente honestos. As evidźncias sčo esmagadoramente convincentes.

A análise acima referida e outras análises semelhantes contém muitos números e estatísticas. Números sčo uteis para demonstrar factos puros. Mas números nunca poderčo demonstrar a tamanha dor e sofrimento humano por detrás destas estatísticas. No dia 7 de Fevereiro de 2005, o recém afastado padre paul Shanley foi condenado por molestaćčo infantil durante décadas enquanto cumpria as suas funćões sacerdotais na Igreja Católica. Foi setenciado a prisčo perpétua. Todos deveriam ler a história (ref.39) e aprender acerca do sofrimento humano e o “inferno na terra” que uma das suas vitimas teve que passar. E a coragem que a vitima mostrou ter quando testificou contra Shanley.

Hoje em dia, muitos grupos gays por todo o mundo estčo trabalhando nos bastidores para baixar a “idade de consentimento” para actos homossexuais. É interessante que nunca ouvimos acerca de grupos gays com campanhas para proteger crianćas da pedófilia. Muito pelo contrário. É verdade que também existem pedófilos heterossexuais. Pessoas doentes. Mas vocź nč irá encontrar um grupo heterossexual advocando abertamente actividades pedófilas heterossexuais como a associaćčo homossexual NAMBLA (Associaćčo Norte-Americana de Amor entre Homem-Rapaz) faz. Nem sequer vocź irá encontrar um grupo heterossexual advocando baixar a “idade de consentimento”. E também nčo irá encontrar nenhuma comunidade heterossexual viajando para a TailČndia para celebrar uma festa extravagante como a comunidade gay faz com a sua celebraćčo chamada “Dia Gay” todos os anos. Mais do que em outros lugares, a TailČndia tem prostituićčo infantil disponivel para todos.