pre-ref 21  

Ref. 21:
Esta referźncia está em Sueco. O material vem do Gluefox.com, escrito por Krister Renard em Uppsala e adressa (entre outras coisas) os actos odiosos cometidos por homossexuais contra Cristčos no nosso país. Acerca da sodomizaćčo veloz do nosso querido país (traduzido para a sua lingua) lź-se da seguinte forma:  


O desenvolvimento parece estar a acelarar rápidamente. Durante “a noite cultural” em Upsália a 19 de Setembro de 1998, foi realizado um servićo religioso na catedral de Upsália, onde eles, entre outras coisas, mostraram a assim chamada “Exposićčo Homo”. Esta exposićčo consistiu de quadros que mostraram Jesus, nčo somente em um ambiente homossexual mas como sendo Ele mesmo um homossexual. Pelo menos eu fiquei com essa impressčo quando vi os quadros. Para exibir Jesus desse modo durante um servićo na catedral de Upsália deve ser a evidźncia final da depravaćčo que tem ocorrido na Suécia durante, mais ou menos, os últimos 30 anos.

E se vocź clicar no link “Dagens Adrenalinklick” (A sensaćčo diária de adrenalina) e depois no “Homosexuality: a natural expression of human sexuality, or …..” (homossexualidade: uma expressčo natural da sexualidade humana, ou...) vocź irá oncontrar isto:

Antes de 1944, os atos homossexuais entre adultos foram criminalizados e considerados como algo nčo natural e depravado. No seu devido tempo a perspectiva psicológica sobre a homossexualidade veio dominar, em que a origem da homossexualidade foi considerada um distúrbio psicológico enraizado em experiźncias traumáticas de infČncia. Na enciclopédia médica (Suéco: Medicinsk Uppslagsbok) de 1969 por Ack Renander (considerado por muito tempo a concordČncia médica padrčo na Suécia) nós encontramos a seguinte definićčo: ”Impulso sexual fraco, dirigido para o mesmo sexo”, e na enciclopédia de Norstedt (Suéco: Norstedts Uppslagsbok) de 1973, homossexualidade foi explicada como: ”Impuso sexual distorcido para o mesmo sexo. Oposto: heterossexualidade, impulso sexual normal”.


Chegamos ao Pride Festival 2001 (festival do orgulho de 2001), a extravagČncia homossexual em Estocolmo. Na barraca que pertence ą associaćčo liberal da juventude (Suéco: Liberala Ungdomsförbundet) a atraćčo principal era jogar dardos em fotos grandes de Alf Svensson, o Papa e Ulf Ekman (líder da “Palavra da Vida”, a nova denominaćčo carismática da Suécia). Neste caso pode-se falar certamente sobre o ódio e o incentivo ą violźncia, de encontro ás pessoas em questčo e aos grupos de pessoas representados por estes líderes. Imagine-se qual seria a reaćčo nos meios de comunicaćčo se uma conferźncia religiosa tivesse uma atraćčo semelhante com as fotos de alguns “Cristofóbicos” da RFSL com o texto: “acerte nos maricas”. Uma coisa destas é naturalmente impossível de acontecer entre pessoas de fé. Entretanto, a RFSL nčo hesita em incitar o ódio a pessoas religiosas. TolerČncia a determinados grupos de pessoas é coisa que eles nčo tźm.


Exemplos adicionais da instigaćčo de ódio por homossexuais na Suécia hoje: Na revista para jovens “Lava”, emitida em Junho 2003 pela cidade de Estocolmo (e paga com o dinheiro dos contribuintes) foram mostrados uns desenhos animados de Siwert Öholm tendo sexo com Alf Svensson. Por baixo dos desenhos animados tinham escrito o seguinte texto, escrito pelo cantor e “orador” Ujje Brandelius “...é tudo acerca de limpar e eliminar um sistema moral Cristčo amaldićoado, fedorento, velho, podre e machista da face da Terra”. Os desenhos animados e o texto foram denunciados por Hans-Göran Björk que é, entre outras coisas, colunista para o “Mundo Hoje” (World Today) que tem laćos estreitos com a “Palavra da Vida”, a ambos o secretário do departamento de Justića (Suéco: Justitiekanslern; JK) e ao “ombudsman” (Suéco: Justitieombudsmannen; JO), oficial do governo que investiga queixas dos cidadčos contra o governo ou organizaćões governamentais. Ambos pensaram que a expressčo “eliminar” era completamente aceitável. Compare isso ąs acćões jurídicas severas de encontro ao pastor Āke Green quando falou contra a homossexualidade e outros pecados sexuais.


Para vźr o texto original em Suéco clique aqui (tamanho do ficheiro: 272 k  )